Por dentro da carreira em Ciências Contábeis

Não se deixe enganar pelo nome. Contabilidade não gira apenas em torno de fazer contas. Essa profissão que está entre as mais bem remuneradas do País oferece pelo menos 30 áreas de atuação. Embora os números sejam sempre importantes quando falamos sobre o universo contábil, um contabilista (ou contador) precisa de predicados que vão além do conhecimento de Matemática e passam por uma excelente noção de ética e legislação. Afinal não foi à toa que o profissional de contabilidade deixou de ser um “guarda-livros”, definido no Código Comercial de 1850, para se tornar um “médico de empresas” no contexto financeiro em que hoje estamos inseridos.

O que faz o contador?

No Código Comercial de 1850, o contador ou contabilista era responsável por registrar as transações dos estabelecimentos comerciais. Mas assim como foi se adequando a nomenclatura (“contador” é indicado apenas para o profissional que cursou bacharelado enquanto “contabilista” se refere a este e a quem tem formação técnica), também foi se desenvolvendo a profissão. O profissional de contabilidade continua sendo, em suma, o responsável por registrar entradas e saídas do caixa de uma empresa. Porém, foram-lhe atreladas outras funções como interpretação de eventos econômicos, planos de investimento e pagamentos de tributos.

O contador realiza um trabalho de extrema importância para a sociedade, pois estando no cerne do controle patrimonial de grandes, médias e pequenas empresas, ele está também no centro de nossa economia. É esse profissional que determina, por exemplo, quantas vagas de empregos podem ser oferecidas em determinado setor de uma instituição e qual salário é viável ser pago. Em outro cenário, se uma companhia quiser expandir seus negócios, o contabilista também deve ser o primeiro a ser consultado, assim como no caso de atribuir valores a produtos para obtenção de lucro. É ele ainda quem informa se uma organização tem meios de continuar funcionando.

Dentre as áreas de especialização da carreira de contabilidade, destacam-se:

  • Perícia contábil: fornece laudos técnicos para subsidiar a solução de litígios, em conformidade com a legislação fiscal.
  • Auditoria: averigua registros contábeis relacionados à alteração e à representação do patrimônio de uma companhia a fim de combater e prevenir irregularidades.
  • Fiscal: com base em normas contábeis, fiscais, trabalhistas, previdenciárias, societárias e administrativas, revisa documentos e identifica eventuais impostos a serem retidos.
  • Gestão de Empresas: administra uma empresa, com base em seus conhecimentos de finanças e investimentos.
  • Atuarial: avalia e administra riscos, agindo principalmente na área de seguros e previdência.
  • Consultoria: aconselha e planeja os passos tomados por uma empresa de modo estratégico, visando claros objetivos.
  • Ensino e pesquisa: fornece instrução e literatura específica para a área.

Perfil do contador

É notório que para se tornar um profissional de contabilidade é necessário ter certa intimidade com a calculadora. Mas este é só o começo. O contabilista contemporâneo tem ainda que ser versátil, proativo, organizado, inovador e capaz de trabalhar em equipe. Ele também deve ter um grande senso de ética, pois lida com questões que podem ter imenso impacto para uma empresa e todos aqueles que dela dependem. Por fim, é necessário ter afinidade com o computador e estar sempre atualizado. Não apenas o mercado e o que se espera de uma empresa são bastante flexíveis no universo financeiro, como também a legislação tributária é repaginada com alguma frequência. Inglês fluente tem se tornado uma competência cada vez mais desejada para uma carreira na área.

A faculdade de Ciências Contábeis

São cerca de 1,2 mil faculdades que oferecem o curso no País, entre aulas presenciais e à distância. Um número ainda pequeno levando-se em conta a demanda pela profissão. Também não é grande a procura por parte dos estudantes. Na Universidade de Brasília (UnB), cujo curso de Ciências Contábeis é o melhor avaliado do País, a concorrência em 2015 foi de apenas 2,77 candidatos por vaga. Na Universidade de São Paulo (USP) – a primeira no Brasil a oferecer a graduação, em 1946 –, a relação não foi muito distante: 5,7 candidatos por vaga.

São em média quatro anos de curso, com exigência de estágios e monografias a critério das instituições. O primeiro semestre é o ciclo básico, com disciplinas como Português, Sociologia, Economia, Matemática, Direito e Administração. Em seguida, são ofertadas matérias mais específicas, tais Contabilidade Tributária, Legislação Comercial, Orçamento Público, Auditoria e Perícia. É importante notar que algumas instituições, como a supracitada UnB, aliam o curso de Ciências Contábeis às Ciências Atuariais. Outras, como o Centro Universitário do Pará (Cesupa) e a PUC Minas oferecem ênfase em computação e controladoria, respectivamente.

Bacharelado ou técnico?

Mais do que escolher se sua profissão será de contador ou contabilista e que dia do ano será dedicado ao seu ofício (22 de setembro para o primeiro e 25 de abril para o segundo), ao optar pelo curso tecnológico o profissional deve ter em mente que lhe serão impostas algumas limitações. O nível técnico não o habilita à realização de perícias, revisão de balanços ou execução de auditorias. Além disso, por decreto da Lei nº 12.249/10, os técnicos em contabilidade que não obtiveram registro junto ao Conselho Federal de Contabilidade (CFC) até junho deste ano não poderão mais fazê-lo.

Todavia, o profissional de nível técnico continua tendo espaço no mercado, como auxiliar do profissional de nível superior. A mudança foi necessária para garantir a qualidade da atividade de cunho gerencial e estratégico exercida pelo contador, uma vez que, para isso, são necessários conhecimentos que vão além da parte operacional oferecida pela formação técnica. A atual grade curricular de bacharelado proposta pelo CFC possui 900 horas de formação básica, 1.680 horas de conteúdo específico e 420 horas de aulas práticas. O curso técnico, por sua vez, conta com 1.060 horas no total, em que apenas 340 horas são de disciplinas específicas da contabilidade.

Profissão Ciências Contábeis

Números de mercado de trabalho

Assim como dois mais dois é igual a quatro em qualquer lugar que não seja música de Caetano Veloso ou livro de George Orwell, um profissional de contabilidade não fica desempregado no contexto econômico atual. Na verdade, a maioria dos...

Leia Mais