Profissão Arquitetura - Números do mercado de trabalho

Arquitetos trabalham com arquitetura? A pergunta parece ter uma resposta óbvia, mas nem sempre foi assim. A profissão de arquiteto já foi tão desvalorizada no Brasil que serviu para brincadeira poética de Luís Fernando Veríssimo, explicando por que não havia cursado uma universidade. "Pensei em estudar arquitetura, como todo mundo. Acabaria como todos que eu conheço que estudaram arquitetura: fazendo outra coisa”, explicou.

Os tempos agora são outros e no Brasil contemporâneo poucas escolhas são tão seguras como se tornar um arquiteto, se o foco é a empregabilidade. Em pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) em 2013, a profissão aparece na quarta posição em taxa de ocupação no mercado de trabalho. De acordo com o estudo, 94,69% dos arquitetos do País estão empregados. A profissão é regulamentada pela Lei 5194, de 24 de Dezembro de 1966, que exige que o arquiteto tenha curso superior reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) e se registre junto ao CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia).

Salários

De acordo com o Conselho de Arquitetos e Urbanistas do Brasil (CAU), metade dos arquitetos do País ganham até oito salários mínimos por mês, ou R$6.304,00 pelo salário mínimo em 2015, mas o número pode chegar a mais de 20 salários mínimos mensais: R$15.760,00 (3,62% dos profissionais).

Os diplomados com maior renda geralmente são donos ou sócios de escritórios de arquitetura. Para estagiários, as bolsas variam entre 800 e 1.500 reais. Os estados que mais oferecem vagas para arquitetos e que onde a remuneração é maior estão nas regiões Sul e Sudeste do País.

O mercado de trabalho

A procura por arquitetos em muito se relaciona com o aquecimento no setor da construção civil. A Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016, bem como o acesso da classe C à casa própria por meio de programas do governo, impulsionaram o investimento em obras que além de projetadas são vistoriadas por esses profissionais. Mas para além da procura sazonal, o arquiteto tem como trunfo a amplitude de seu leque de atuação. Afora os diversos setores que ocupa, que vão do urbanismo ao design de interiores, o profissional de arquitetura pode trabalhar em qualquer lugar do mundo, de forma autônoma ou contratado por uma empresa que pode ser pública ou privada.

Exemplos de áreas ocupadas pelo arquiteto são empresas públicas ligadas à infraestrutura e à urbanização; órgãos de preservação do patrimônio histórico; indústria e comércio moveleiro; empresas de restauro de edifícios; construtoras; empresas de paisagismo; escritórios de arquitetura; e empresas especializadas em design gráfico e em cenografia. Arquitetos podem ainda trabalhar como professores, com segurança do trabalho e com tecnologia e resistência dos materiais. Esses últimos garantem alguns dos salários mais altos da categoria.

Por dentro da carreira em Arquitetura

Arquitetos trabalham com arquitetura? A pergunta parece ter uma resposta óbvia, mas nem sempre foi assim. A profissão de arquiteto já foi tão desvalorizada no Brasil que serviu para brincadeira poética de Luís Fernando Veríssimo, explicando por que não havia...

Leia Mais