Profissão Fisioterapia - Números do mercado de trabalho

Salários

A jornada de trabalho dos fisioterapeutas é de no máximo 30 horas semanais, estabelecida por lei. Portanto, todos os valores se referem a essa carga horária. O piso salarial recomendado pelo sindicato é de aproximadamente R$2.000,00, mas no início da carreira, um fisioterapeuta recebe em média R$1.200,00 a R$2.000,00, dependendo da área de especialidade (esportivo, do trabalho, respiratório, RPG, etc) e também da localidade e tamanho da empresa em que atua (de forma geral, grandes centros urbanos têm remunerações mais altas, e quanto maior a instituição, maior o salário). Conforme cresce na profissão, o fisioterapeuta pode ocupar cargos de maior nível hierárquico dentro da instituição em que atua, e a média salarial desse profissional costuma girar em torno de R$2.800,00 a R$3.100,00. Em um ganho intermediário, o profissional costuma ganhar de R$4.000,00 a R$5.000,00, e no auge da carreira, pode chegar a ganhar R$10.000,00.

Para o trabalho autônomo, o Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (COFFITO) oferece valores de referência para diversos serviços, por exemplo, R$58,50 para uma consulta fisioterapêutica hospitalar, ambulatorial ou domiciliar. No entanto, conforme se ganha experiência e reconhecimento como fisioterapeuta e se constrói um leque de clientes, o profissional autônomo pode cobrar mais pelo seu serviço e negociar diretamente com o cliente. O valor médio para uma consulta em casa é de R$80,00 por sessão.

O mercado de trabalho

A concentração de vagas está no Sudeste, bem como o maior número de fisioterapeutas, de forma que é mais fácil ser contratado no interior, no Norte e no Nordeste. Hospitais, clínicas e secretarias de saúde absorvem muitos profissionais todos os anos. Segundo especialistas, áreas promissoras são oncologia, dermatofuncional, esportiva, reabilitação cardiovascular e saúde da família e do trabalhador. O atendimento a domicílio (home care) é uma área em expansão devido ao envelhecimento da população.

Apesar do fisioterapeuta poder ter um contrato de no máximo 30 horas semanais em uma instituição, é comum que esses profissionais tenham dois trabalhos diferentes para aumentar a renda, por exemplo: o emprego mais estável e regular em uma instituição de saúde durante a manhã e tarde e o trabalho mais incerto como autônomo durante a tarde, noite e fins de semana. Isso acontece também porque é difícil se estabilizar desde o início como fisioterapeuta autônomo, como na maior parte das profissões.

O crescimento na profissão depende muito da formação contínua do profissional através de cursos de especialização (pós-graduação ou mesmo cursos livres), que aumentam o repertório de técnicas e conhecimentos do profissional. Além disso, para ser ter sucesso na profissão, destaca-se a importância de ser um profissional humanístico, que sabe lidar com os pacientes, mais do que alguém que apenas aplica as técnicas fisioterapêuticas.

Por dentro da carreira em Fisioterapia

A jornada de trabalho dos fisioterapeutas é de no máximo 30 horas semanais, estabelecida por lei. Portanto, todos os valores se referem a essa carga horária. O piso salarial recomendado pelo sindicato é de aproximadamente R$2.000,00, mas no início da...

Leia Mais