Profissão Turismo - Números do mercado de trabalho

O turismo como atividade comercial existe desde o século XIX, quando o inglês Thomas Cook organizou, em 1841, uma viagem de trem entre as cidades de Leicester e Loughborough com o objetivo de levar um grupo para participar de um encontro antialcoólico. No Brasil, porém, a indústria turística ainda é considerada nova, com bastante potencial de crescimento. Uma boa parte desse potencial é explorada no Plano Nacional de Turismo 2013-2016 que enxerga no setor grandes contribuições para o desenvolvimento econômico e social do País e para a erradicação da pobreza. Outro impulso ao florescimento da indústria do Turismo é a alta do dólar. Com as viagens internacionais 13% mais caras em 2015, os brasileiros passaram a investir ainda mais em destinos nacionais. E quem pega carona nessa movimentação são as oportunidades de carreira para os turismólogos.

Salários

Com tantos aspectos positivos, a carreira de turismólogo tem nos salários o seu ponto fraco. Principalmente para quem está começando na profissão, a remuneração é relativamente baixa. Mas esse quesito também não passa despercebido aos bons ventos que rondam a profissão. Segundo a agência de empregos online Catho, os salários dos profissionais da área de turismo aumentaram em até 30% entre os anos de 2012 e 2013. Caso do consultor de intercâmbio, que passou a ganhar R$ 2.400,00, e do coordenador de turismo, que ganha agora em média R$ 4.400,00.

Tudo depende do setor de atuação, que é muito amplo para quem cursa Turismo, e do grau de instrução do profissional. Na função de recepcionista, por exemplo, o valor pago inicialmente gira em torno de um salário mínimo (R$ 788,00). Se esse funcionário domina inglês ou outra língua estrangeira, a média é R$ 1.200,00. Já um agente de viagens ganha algo em torno de R$ 2.600,00 + comissão. Um profissional especializado e com experiência que realize um estudo técnico para programar um parque temático pode embolsar até R$ 150 mil reais pelo projeto.

De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviço e Turismo (CNC), houve um aumento de 23,7% no salário médio real do setor, entre os anos de 2007 e 2013. Ainda segundo a instituição, foram também ampliadas as vagas para profissionais sazonais, com mais de 35,5 mil postos no verão de 2015. Os salários dos contratados para trabalhos temporários tiveram um crescimento de 3,6% em relação ao mesmo período de 2014 e giraram em torno de R$ 1.150,00 este ano.

O mercado de trabalho

Primeiro foi o Plano Nacional de Turismo 2013-2016, visando colocar o Brasil entre as maiores economias turísticas do mundo até 2022. Depois, o investimento em estrutura, propaganda e formação na área com foco na Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. Finalmente, a alta do dólar, causando uma procura mais expressiva por viagens domésticas, com uma alta de 12,5% em janeiro de 2015 se comparado ao mesmo período do ano anterior. Além disso, desde 2011 houve um grande crescimento no número de novos passageiros de avião, resultado da ascensão de uma boa parcela pobre da população à classe média. Apenas entre julho de 2011 e julho de 2012, 9,5 milhões de pessoas voaram pela primeira vez.

O momento não poderia estar mais propício para investir na carreira de turismólogo. O mercado está bastante aquecido, principalmente para quem possui visão empreendedora e especialização. Segundo o mais recente Boletim de Desenvolvimento Econômico do Turismo, divulgado em outubro de 2014, 18% dos principais executivos do setor estão otimistas quanto ao aumento do nível de empregos, enquanto 70% dos entrevistados preveem estabilidade do quadro de pessoal. E isso em momento de crise econômica no País e corte de gastos.

As opções para quem quer seguir carreira na área são várias, mas dividem-se em duas principais áreas: planejamento de atividade turística e empresas de turismo. Elas englobam desde agências de viagens - e o setor comercial é sempre uma boa opção para quem tem iniciativa e bons contatos - até coordenação de eventos; orientação turística em cidades e parques temáticos; consultoria; gerência de hotéis, pousadas e resorts; planejamento de roteiros para órgãos governamentais e marketing turístico. Também há bastante espaço para quem quer seguir a carreira de professor, em cursos de bacharelado e tecnológicos presenciais e à distância.

O maior foco do turismo no Brasil ainda encontra-se no litoral, com destaque para a região Nordeste. Mas é possível e recomendado explorar o interior do País, principalmente em setores como o Ecoturismo e o Turismo de Aventura. Para quem prefere os grandes centros urbanos, a dica é a criatividade. Oferecer pacotes originais pode compensar a concorrência com empresas já consolidadas no mercado, por exemplo. Outro setor com bastante demanda nas capitais é a organização de eventos, especialmente no Turismo de Negócios. Os cruzeiros marítimos são ainda uma atividade em expansão no Brasil.

Por dentro da carreira em Turismo

O turismo como atividade comercial existe desde o século XIX, quando o inglês Thomas Cook organizou, em 1841, uma viagem de trem entre as cidades de Leicester e Loughborough com o objetivo de levar um grupo para participar de um...

Leia Mais