Por dentro da carreira em Agronomia

O que faz o profissional de Agronomia?

O profissional formado em Agronomia, também chamado de engenheiro agrônomo, é o detentor dos conhecimentos e técnicas utilizados em todo o processo de produção agropecuária, podendo participar desde a criação de rebanhos ou o plantio de frutas, hortaliças e cereais, passando para a colheita, extração ou abate, até os eventuais processos industriais envolvidos para a comercialização dos produtos agropecuários. Dessa forma, ele pode planejar, administrar e executar o cultivo do solo, combate a pragas e doenças, adubação e irrigação, alimentação, reprodução e saúde dos animais, armazenamento e comercialização dos produtos, entre outras atividades. Tudo isso de forma sustentável, analisando os impactos da atividade humana sobre a terra e respeitando a natureza. É um trabalho que alia fatores ambientais, econômicos e sociais.

O seu local de trabalho costuma ser o campo, em propriedades rurais, mas o engenheiro agrônomo também pode atuar em centros urbanos gerindo, pesquisando e assessorando atividades ligadas ao agronegócio, tanto em empresas e indústrias privadas quanto em órgãos públicos. Para exercer a profissão, o estudante deve se formar no bacharelado em Agronomia e se registrar no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA) do estado onde atua.

Apesar de atuarem na mesma área, não se deve confundir as atividades do profissional de Agronomia e do profissional de Engenharia Agrícola. O engenheiro agrícola tem uma formação voltada para física e matemática, e suas atividades dizem respeito à produção e manutenção de máquinas e equipamentos utilizados na agricultura. Já o engenheiro agrônomo tem uma formação voltada à química e biologia e é o profissional que pode atuar em todo o processo da agropecuária.

Perfil do Agrônomo

Ainda que seja possível trabalhar em centros urbanos, a atuação mais comum do engenheiro agrônomo é no campo, portanto, é natural que o profissional de Agronomia deva ter afinidade e gosto por estar em zonas rurais, em contato direto e cotidiano com animais e plantas. Mas só isso não é suficiente: é necessário que o profissional tenha interesse em química e biologia (especialmente zoologia, botânica e ecologia), facilidade com números e cálculos para analisar e planejar ações, e visão sistêmica de todas as etapas do agronegócio. Outras características importantes a esse profissional são flexibilidade, adaptabilidade, capacidade de resolver problemas e atualização contínua sobre o mercado e a área do agronegócio.

A faculdade de Agronomia

O curso de Agronomia, também chamado de Engenharia Agronômica, é oferecido apenas na modalidade bacharelado, com duração média de 5 anos. O currículo inclui disciplinas gerais das áreas de exatas e da natureza como biologia, ecologia, bioquímica, estatística e cálculo, bem como as disciplinas mais específicas à área como física do solo, açúcar e álcool, processamento de alimentos, fruticultura, adubos, irrigação e drenagem, controle de plantas daninhas, recursos florestais, etc. Há atividades práticas em campo durante a graduação.

Bacharelado ou tecnólogo?

Não é possível obter o título de engenheiro agrônomo com um curso tecnólogo, pois o diploma de bacharelado é um requisito para se registrar no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA), mas é possível trabalhar na área com cursos tecnólogos que oferecem formações em áreas específicas do agronegócio. Alguns exemplos desses cursos são: Irrigação e Drenagem (construção e manutenção de sistemas de irrigação e drenagem em lavouras), Produção sucroalcooleira (todo o processo envolvido na produção de álcool e açúcar), Biocombustíveis ou Bioenergia (desenvolvimento, gestão e vendas de biocombustíveis), Viticultura e enologia (produção de uvas, vinhos, cana-de-açúcar e cachaça), Aquicultura (criação e comercialização de peixes e outros animais aquáticos como jacarés e camarões) e Silvicultura (recuperação e manejo de florestas).

Enquanto o bacharelado tem duração média de 5 anos, durante os quais são abordados de forma ampla e aprofundada os conhecimentos e técnicas envolvidos em todo o processo de produção agropecuária, os cursos tecnólogos têm duração média de 3 anos e são mais voltados para a prática cotidiana do profissional. Os cursos tecnólogos têm como objetivo formar profissionais rapidamente para demandas específicas do mercado, e é comum que pessoas que já atuem na área sem formação superior cursem o tecnólogo para aumentar suas qualificações e chances de crescer na profissão. De forma geral, os bacharéis ainda são mais valorizados no mercado, devido aos seus conhecimentos mais amplos, e eles também têm um número maior de possibilidades de atuação. No entanto, se a pessoa tem clareza do que quer e precisa ingressar rapidamente no mercado de trabalho, a especificidade da formação tecnóloga pode ser uma vantagem, e essa formação não impede que o profissional faça uma graduação em Agronomia ou cursos de especialização posteriormente, que aumentam as suas qualificações.

Por isso, na decisão entre um curso bacharelado ou tecnólogo, reflita sobre as suas intenções profissionais, compare as grades curriculares dos cursos e faculdades de sua preferência e examine as suas possibilidades concretas (tempo e dinheiro necessários, rotina de estudo e/ou estágio, etc) para escolher a opção mais adequada ao seu projeto de vida.

Profissão Agronomia

Números de mercado de trabalho

Os engenheiros agrônomos encontram ótimas oportunidades de emprego com salários altos desde o início da carreira, independente do setor específico de atuação (gado, cereais, frutas, hortaliças, etc). O piso salarial recomendado para a profissão é de aproximadamente R$4.700,00 para uma...

Leia Mais